Quinta-feira, 29 de Setembro de 2005

...

Image029.jpg

BENDITA A HORA EM QUE FORAM EXPULSOS DO PARAÍSO
publicado por mmfmatos às 17:41
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

...

Image028.jpg

ABENÇOADA MAÇÃ
publicado por mmfmatos às 17:40
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|

DEUS CRIOU O MUNDO, MAS NÃO SABIA DE QUÍMICA




Deus criou o mundo e descansou


Depois criou o homem e descansou


Finalmente criou a mulher e nem Deus


Nem o homem descansaram mais


Está aqui a chave do mistério. O mistério da tal química e de todas aquelas substâncias com nomes esquisitos com que a nossa amiga Perfect Woman nos baratinou a cabeça no seu post do dia 27 do corrente mês.


Recuando no tempo, deparamo-nos com infelizes casais amantíssimos que, por causa da tal química se finaram tragicamente enredados em traições, guerras, ódios e desventuras: Pedro e Inês, Romeu e Julieta, Tristão e Isolda, Otelo e Desdémona, Cleópatra e Júlio César + Marco António. Tudo isto , porquê? Porque a maçã que o pobre Adão tomou das mãos da sua companheira Eva, devia estar impregnada de todas essas substâncias que a Perfect Woman teve a gentileza de nos dar a conhecer.


Deus criou a mulher, mas criou também a maçã e Ele sabia bem o resultado que isso iria ter porque Ele é perfeito, omnisciente e omnipresente; um ser assim nunca poderia ou, pelo menos, não deveria ignorar a composição do fruto que fora objecto da sua criação, nem a qualidade do barro que utilizara para modelar o seu par de cobaias humanas. Logo, era sua intenção lançar o pecado sobre o incauto casal que Ele, num aparente gesto de boa vontade, colocara no Paraíso expulsando-o logo em seguida para assim o converter na progenitura da Humanidade. E que Humanidade! Foi um gesto de pura diversão porque Ele sabia bem a asneira que isso iria dar, mas as contendas com Lúcifer não estavam resolvidas, a traição do Anjo Mau não estava esquecida e Ele resolveu pregar-lhe uma partida - povoar o mundo com muitos e variados mafarricos. Deus inventou assim a lei da concorrência e Lúcifer também nunca mais teve descanso. Tem o mundo todo às avessas e a Humanidade toda contra ele e olhem que até para um Anjo Mau deve ser extenuante ouvir há milhares de anos a mesma conversa: " Isto é obra do Diabo, o Diabo que o carregue, tem o Diabo no corpo, há horas do Diabo, são tentações do Diabo, tem pacto com o Diabo, entre os dois venha o Diabo e escolha, etc. ect. ect. ". É demais! Não há Diabo que resista a tantas imprecações.


Mas, mesmo que Deus tenha criado o mundo num acesso de mau-humor e apesar das quezílias entre Ele e o Diabo, há algo na Sua Obra ( a tal maçã carregada de dopaminas, feniletilaminas, ocitocinas, norepinefrinas e ferormónios ) que torpedeou fatalmente a mancha do pecado com que projectara estigmatizar-nos até ao dia do Juizo Final. O sentimento de vergonha que fustigou os nossos ancestrais progenitores levando-os a encobrir as "partes pecaminosas" enquanto eram escorraçados do Paraíso, metamorfoseou-se nesse sentimento glorioso e avassalador que tem alimentado a inspiração de trovadores, artistas e poetas de todos os tempos - A PAIXÃO. Quem é que nunca se sentiu, nem que fosse em sonhos, possuído por uma louca e arrebatadora paixão? E ainda que os tratados de psicologia nos digam que todo o estado de paixão é incompatível com a razão, quem é que está interessado em ser razoável quando a chama da paixão lhe inflama o corpo e lhe consome as entranhas?


Quem poderá ficar insensível a esta bela e plangente cantiga de amor?





Senhora, partem tão tristes


meus olhos por vós, meu bem


que nunca tão tristes vistes


outros nenhuns por ninguém.


Tão tristes, tão saudosos,


tão doentes da partida,


tão cansados, tão chorosos,


da morte mais desejosos


cem mil vezes que da vida.


Partem tão tristes os tristes,


tão fora de esperar bem,


que nunca tão tristes vistes


outros nenhuns por ninguém.


( CANTIGA PARTINDO-SE  de João Roiz de Castelo Branco que viveu na corte de D. João II. Poesia lírica inserta no Cancioneiro Geral  de Garcia de Resende )


 




 


 


publicado por mmfmatos às 17:29
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|

...

Image031.jpg

LOUVADO SEJA O SENHOR QUE FELIZMENTE NÃO SABIA NADA DE QUÍMICA PORQUE SE SOUBESSE NÃO TERIA CRIADO O FRUTO PROIBIDO, NÃO HAVERIA NO MUNDO PAIXÃO E OS POETAS NÃO TERIAM FONTE PARA A SUA INSPIRAÇÃO.
publicado por mmfmatos às 16:00
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Setembro de 2005

O VULCÃO

natureza selvagem.jpg

O Primeiro Ministro já anunciou que no OGE ( Orçamento Geral do Estado para os que não gostam de siglas ) para 2006, seremos " presenteados " com medidas muito duras. Não disse quais eram as medidas que as cabecinhas pensadoras engendraram para nos lixarem a vida, portanto, é outro tabu que fica para depois das eleições autárquicas. Preparem-se para o estrondo porque o vulcão já está fumegando.
publicado por mmfmatos às 19:20
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|

AMANHÃ É QUE VAI SER ( CONTINUAÇÃO )

SAUDAÇÕES LEONINAS

publicado por mmfmatos às 18:44
link do post | comentar | favorito
|

AMANHÃ É QUE VAI SER

luta de gigantes.jpg

Ó vizinha porte-se bem e não me provoque. Eu sei que ontem o resultado foi curto e que o jogo foi fraco, mas, por enquanto, eu estou em segundo lugar. Poupe as energias para amanhã porque bem precisa pois não sei se terá bico para aqueles " Bifes " do Manchester que são bastante duros de roer. Nem que fique toda depenada, veja se traz um resultado em condições para animar cá as hostes lusitanas que estão bastante carenciadas.
publicado por mmfmatos às 18:29
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 24 de Setembro de 2005

O ÚLTIMO MILAGRE DE FÁTIMA - ANEXO I

F.Felgueiras.jpg

Eis a foto da "santinha" quando tentava fugir, não da polícia, mas dos seus loucos devotos.
publicado por mmfmatos às 14:20
link do post | comentar | ver comentários (8) | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Setembro de 2005

O ÚLTIMO MILAGRE DE FÁTIMA


A minha amiga Cipriana resolveu ir a pé a Fátima no cumprimento de uma promessa pelo facto da Virgem lhe ter curado uma unha encravada. Ainda tentei dissuadi-la, dizendo: "Não vás, olha que é uma grande caminhada, tu já não és nenhuma jovem, ainda por cima nunca foste a Fátima e não tens qualquer sentido de orientação, ainda te vais perder, tem juizo mulher!". O meu apelo não surtiu qualquer efeito, promessas são promessas era a única resposta que a Cipriana dava às minhas tentativas para a fazer desistir daquela louca caminhada.


Lá partiu acompanhada pela filha, cujo namorado andava com uns problemas de ejaculação precoce e, embora a moça não fosse muito crente, resolveu fazer a peregrinação numa de se não fizer bem, mal também não faz. Entretanto a mãe da Cipriana que já há muito tempo tinha uma promessa por cumprir que se reportava à última peste suína que atacara a região, achou que era a altura ideal para cumprir a promessa não fosse ela morrer sem pagar o tributo à Virgem por ter poupado da peste os seus porquinhos enquanto dizimara tantos outros.


Iniciaram a caminhada, por serras e atalhos, a Cipriana no comando, muito segura de si e confiante nas explicações sobre o itinerário que lhe dera um vizinho habituado àquelas andanças. A mãe e a filha seguiam-na cegamente e lá foram, parando de vez em quando para descansar, beber água e petiscar qualquer coisa. O dia estava fresco, a serra cheirava a rosmaninho, respirava-se ar puro, pode dizer-se que a caminhada até estava a ser agradável. A Cipriana lá ia esticando o dedo sempre que era preciso mudar de rumo até que deixaram os atalhos e a serra, retomando a estrada que, no seu entender, ia direitinha ao Santuário.


Efectivamente, passado um quilómetro, lá estava uma praça apinhada de gente, uma multidão ululante que gritava frente a um edifício protegido por um cordão policial: "Eu via-a, eu via-a. Eu até lhe toquei. Ela até me beijou. Ela voltou, ela voltou!!!!!!!". As mulheres seguravam retratos enormes de encontro ao peito e a mãe da Cipriana que vê mal, mas não usa óculos, aproximou-se para tentar descortinar a figura retratada, perguntando a uma das mulheres: "É ela? É a Nossa Senhora?". Ao que a mulher respondeu: "Pode bem dizê-lo, é a nossa santinha e voltou, ela sempre disse que voltava, se quiser pode ficar com este ( estendeu-lhe o retrato da santinha ) eu arranjo outro".


Maravilhada com aquela multidão em êxtase, a Cipriana virou-se para a filha: "Estás a ver como eu não me enganei no caminho? Chegámos ao Santuário de Fátima e aquele edifício deve ser a Basílica. Ouves o que eles estão a dizer? Que ela voltou, é um milagre filha, ela voltou a aparecer". Ao aperceber-se do estado de transe em que se encontravam a mãe e a avó, a rapariga gritou: " Ó suas azémolas, isto não é Fátima e esse retrato que a avó tem na mão é daquela gaja que fugiu para o Brasil". Ao ouvi-la, uma das mulheres foi direita a ela e, com uma voz esganiçada, vociferou: "Ó sua lambisgóia de merda, você chamou gaja à nossa Drª. Fátima, à nossa Presidenta? Olhe que eu parto-lhe as trombas!". Avó, mãe e filha, na contingência de se verem trucidadas pela multidão, deram corda aos sapatos e voltaram para casa, frustradas e com as promessas por cumprir.


Contudo, não pensem que a minha amiga Cipriana desistiu da promessa, só que vai esperar pela peregrinação do vizinho e vai com ele para não correr o risco de ir novamente parar a Felgueiras onde uma senhora chamada Fátima atravessou as nuvens, não por meios sobrenaturais, mas por avião, aterrou na Portela, chegou a Felgueiras de carro, não pousou numa azinheira como qualquer Santa que se preze, saíu gloriosamente do Tribunal e, em vez de três pastorinhos para receberem a sua mensagem, tinha muitos, muitos carneirinhos. 


publicado por mmfmatos às 18:53
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|
Sexta-feira, 16 de Setembro de 2005

CRÓNICA DE UMA CAMPANHA ÁRIDA E TRISTE

cacto.jpg


O Soares está um bocado fora de prazo, tem horror à leitura fastidiosa dos dossiês e adormece facilmente nas cerimónias oficiais. Será que não há cadeiras na sua Fundação onde ele possa dormir descansado e esquecer as veleidades de ir em busca do tempo perdido? Até pode ser que obtenha o perdão do poeta Alegre que, de braços abertos, lhe devolverá a sua amizade naquele estilo grandiloquente e altissonante que todos lhe conhecemos:

" Vem a meus braços amigo
A porca da política nos separou
Voltemos ao tempo antigo
Que se lixe o Presidente e quem o apoiou "

O Cavaco tem má dicção e uma cor macilenta o que numa democracia já de si bastante debilitada não ajuda muito e até pode contribuir para aumentar o estado depressivo da Nação. Melhor será que vá repousar para a sua vivenda Mariani para ver se adquire um ar mais saudável. Depois há aquela história chata do tabu que anda a deixar os portugueses baralhados. Até já a sua Maria aparece nos telejornais, com um sorriso matreiro, respondendo aos jornalistas: " Faça ele o que fizer, tem sempre o apoio da família e é tudo! ". Com este fim de frase "e é tudo!" pôs termo à conversa e os jornalistas nem se atreveram a replicar. Lá está o tabu a funcionar.E depois aquele vestido cor de lagosta suada que a senhora envergava!!! No entanto, isso ainda teria solução, contratava-se a Lili Caneças para lhe cuidar da imagem.

O Jerónimo, coitado, foi apanhado pela máquina do tempo e ficou encalhado na revolução bolchevique de 1917. Ainda por cima fala dele próprio como o " camarada Jerónimo de Sousa " o que me leva a crer que o homem não sabe bem em que fuso horário é que se encontra. É compreensível. Estas andanças do presente para o passado e vice-versa, sem avistar futuro, dão volta ao miolo de qualquer um.

O Louçã é como aquelas maçãs muito lustrosas que enxameiam nos Intermarchés e Ecomarchés e que não nos atrevemos a trincar sem primeiro lhes tirar a casca com receio de qualquer produto nocivo com que as tenham encerado. Qual será o seu papel? Há quem pense que é a lebre - corre, corre, estoira os outros e depois desiste. Talvez não seja bem uma lebre, será mais um coelho em busca da cenoura na horta do vizinho.

Realmente, o panorama não é famoso. Enquanto meditava na triste sorte de quem não tem matéria-prima digna da cadeira de Belém, dei com o programa "Por Outro Lado" no canal 2, onde a Ana de Sousa Dias entrevistava o antigo Presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso. A propósito de candidatos presidenciáveis, Fernando Henrique Cardoso afirmou que no Brasil há muito por onde escolher e nomeou uns tantos Governadores estaduais, segundo as suas próprias palavras, " inteligentes e ainda jovens ", que poderão ocupar, com sucesso, o Palácio do Planalto. Aí tive uma ideia - se no Brasil há tantos, nós podemos importar um, mas ... acordei para a triste realidade - não pode, não é português. Eis que tive segunda ideia e esta foi mesmo luminosa - importa-se um desses Governadores, seja ele do Pará, do Ceará ou do Piauí, tanto faz, e vamos naturalizá-lo.
O Deco também não era português, fala com sotaque, não sabe cantar o hino e, por razões que todos conhecemos, foi naturalizado. Meus amigos não nego a importância da Selecção para a elevação da auto-estima do nosso povo, mas agora outros valores mais altos se (a)levantam, trata-se do Presidente de todos nós. Só ponho uma condição - nada de mensalões. Quando quiser fazer qualquer acordo, ele que se contente com o queijo Limiano, com o presunto de Chaves ou com o leitão da Bairrada. Há que defender o produto nacional.
publicado por mmfmatos às 12:50
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|

.Leva-me contigo que eu trato-te da saúde

">

.posts recentes

. QUEM DISSE QUE O OUTONO E...

. SÃO ROSAS SENHOR

. É MESMO UM TRONCO DE ÁRVO...

. AS APARÊNCIAS ILUDEM

. QUE NUVEM!

. ECLIPSE DA LUA

. ECLIPSE DA LUA - HOJE

. HÁ MAR E MAR, HÁ IR E VOL...

. VISITA AO OCEANÁRIO

. AINDA A TLEBS

.arquivos

. Novembro 2008

. Fevereiro 2008

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Julho 2005

. Junho 2005